Primeira Missa -1963

PRIMEIRA MISSA -1963

Quatro de outubro do ano de 1963. Quase tudo pronto para a celebração da primeira missa, durante a qual, seria abençoado o Altar de mármore – doação doutores Fernando e João – ambos da indústria Sinval.Enquanto providenciavam os últimos preparativos para a celebração, cogitava Iva. Deus, que lhe restituíra a saúde, que a tornara apta à expansão do seu Reino, dali a pouco se faria presença viva nas substâncias do pão e do vinho. Sua absoluta simplicidade completamente ofuscaria o símbolo do calvário, trabalhado com esmero, em alto-relevo, no cálice de ouro… O precioso sangue do Cordeiro Imaculado, no interior, perdoando o pecado do mundo, libertando pecadores, trazendo nova vida.

“Eu vim para que todos tenham vida e tenham em abundância.” Jo 10.10

Prova de amor que a desconcertava. Deus, infinito e auto-suficiente, se imolando pelas criaturas falhas e frágeis… Juntando-lhes os bagaços. Fazendo-as vasos novos, neles depositando a fragrância do amor… A benção divina, naquela missa, a todos cobriria plena de misericórdia e alerta. Sua mensagem chegaria silenciosa e perspicaz a cada coração…A Luiz Roque que, a exemplo dos Magos do Oriente, trouxera-lhe sem hesitar, o valioso cálice:

“As minhas palavras são puras como a prata refinada, purificadas sete vezes em forno de barro.” SI 12,7

Continuava Iva aprofundando-se mais nas suas cogitações. Agora voava mais alto! Perdera a noção do eu pessoal, integrando-se no eu superior.

“Senhora, eu te abençôo. Esta capa abrigará meu corpo na pessoa do celebrante, nos dias festivos. Não te esqueças, porém: “O corpo vale mais que a roupa.” Mt 6,25

José Luna, eu te abençôo, porquanto sou todo bondade e compaixão. Trouxeste-me o sacrário cujo interior torna-se minha tenda, visto que, enquanto homem não tive onde repousar a cabeça:

“As raposas têm tocas e as aves do céu têm ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde repousar a cabeça. “Mt 8,20

Helena, eu te abençôo. O ostensório permitirá a todos contemplarem o Senhor da Vida, no Santíssimo Sacramento.

“Somente ao Senhor teu Deus adorarás.” Mt 4,10. E tu me adorarás em espírito e verdade.”

À medida que Iva percebia os objetos, as mensagens iam tomando forma e se agigantando em seu coração. “Cândido Elias, não ficarás sem experimentar a minha benção. Esta , âmbula será destinada a proteger meu Corpo, aparentemente tão frágil… | São afiados os pêlos da cana… E eu passo tantas vezes entre vocês… Vejo desabrigados pelo campo, enfrentando sol, chuva, frio. Trabalho árduo para ganharem o pão de cada dia. Milhares nem percebem a minha presença.

“Pai, eu neles e tu em mim.” Jo 17,23

Eu os abençôo, Fernando e João. O altar, que vocês aqui trouxeram, é a mesa. Nele, meu Corpo, o Pão que desceu do céu será repartido freqüentemente para alimentar a todos.

” A minha carne é verdadeira comida e o meu sangue é verdadeira bebida.” Jo 6,55.

Dêem sempre, porque é dando que se recebe.” Dai e vos será dado.” Eu me dôo para que aprendam a doar-se. Abencôo-te, Heloísa. Eis que te revelaste uma pessoa grata. Estando doente, eu te curei; logo te desprendeste de bens materiais. Tua fé é viva. Deste-me objetos litúrgicos e devolveste-me terreno suficiente para que nele se abriguem os pequeninos. Sabes que sou dono de tudo.

” A Javé pertence a terra e tudo o que ela contém, o mundo e os que nela habitam.” SI 24 (23), l.

Vê o jumentinho! Escuta o relinchar do bichinho, Heloísa. Lembra-te que foi o animal em cujo lombo entrei triunfalmente em Jerusalém.

Consulta Lc 19,33-36″. E ela não pára, Deus meu. Parece até que se esqueceu do mundo!..

“Abençôo esta multidão que forma o meu povo – Povo de Deus, o qual trabalhou incansavelmente para que, Hoje, a primeira missa fosse celebrada. Abençôo a todos vocês que continuarão, no próximo ano, a luta em nome do amor, à procura da luz. E você, Iva, vá ao Prefeito Vicente Mendes, exponha as dificuldades de trabalho no escuro. A minha luz a ajudará na conquista da luz elétrica.” – Sim – concorda absorta, levando um susto que a retira do cenário de Deus para conduzi-la à intimidade mais perfeita e substancial, na Eucaristia. – A missa vai começar!

Deixe uma resposta